Decisão Judicial: Loja perde ação pedindo insignificância de pirataria

27/11/2011
Em setembro de 2009 foram apreendidos 345 Cds e 219 DVDs de vários filmes e autores sendo comercializados. Os proprietários da loja na cidade de Jardim entraram com ação alegando princípio de insignificância para o crime de pirataria, recurso negado nesta terça-feira (22)
Para o relator dos autos, desembargador Claudionor Miguel Abss Duarte, não assiste razão a A.M.P.S. quanto à matéria tratada no recurso. Em seu voto, ele lembrou que é de conhecimento geral que a “pirataria” de CDs e DVDs tornou-se um problema dantesco na sociedade, por ser a massificação do crime de violação de direitos autorais.
O relator entende que a aplicação do princípio da bagatela somente incentivaria a prática de delito tão comum e ao mesmo tempo tão combatido atualmente. Para ele, a venda de CDs pirateados lesa não só o artista, mas a indústria fonográfica como um todo, causando desemprego, além de representar redução de tributos, resultando, assim, em prejuízo a toda a comunidade.
Fonte: APCM e Correio do Estado (Laís Camargo)

Comentários

Veja também:

XX Congresso Iberoamericano de Direito e Informática – Salamanca/Espanha
Salvar documentos da empresa em pen drive pessoal justifica demissão por justa causa, define TST
STF decide que local da extorsão define atribuição para investigar falso sequestro por telefone
Projeto de Lei sobre direito de resposta nos meios de comunicação é aprovado na Câmara dos Deputados

2015 - Todos os direitos Reservados